Lua Negra

Também chamada Lilith, é um ponto fictício na trajetória orbital da Lua ao redor da Terra; mais praticamente, trata-se do segundo foco da órbita lunar (o outro foco é a Terra), cuja posição é sensivelmente a mesma do apogeu lunar (ponto em que a Lua está mais afastada da Terra). Esse ponto não é fixo, desloca-se aproximadamente 40o por ano. A Lua Negra é um ponto altamente metafísico em um mapa astral. É de interesse principal para aqueles que buscam uma dimensão esotérica em Astrologia. Simboliza o oculto, o inconsciente, a parte que as pessoas não reconhecem facilmente nelas, a “sombra” no sentido junguiano do termo. Onde a Lua Negra se encontra é um polo de lucidez absoluta, de luz, tão ofuscante, tão intensa, que se pode querer recusar vê-la. Em seus aspectos dissonantes indicará um corte, uma falta, uma recusa, um vazio, e sempre representará no mapa astral de uma pessoa influenciada por ela alguma coisa incômoda e fascinante para os outros. (AUBIER, 1992, p. 256).

27/08/2012

O Simbolismo Astrológico da Lua Negra

Ponto vulnerável no mapa, uma sensibilidade ou fraqueza maior, que quando bem aplicada pode ser um ponto forte. Seu símbolo está ligado ao nosso lado mais instintivo, cruel, pornográfico, à sensualidade pelo pior lado. Os conteúdos psíquicos simbolizados por ela são muitas vezes interpretados como raiz da libido. A lua exerce uma influência no inconsciente, nos sonhos, sono, memória, nas emoções e nas reações espontâneas. Também de poderes paranormais, inclinação para bruxaria, mediunidade, etc...
De qualquer maneira, é uma potencialidade simbólica e inconsciente. Segundo o astrólogo Hermínio Amorim, Lilith foi feita por Deus, de barro, à noite, criada tão bonita e interessante que logo arranjou problemas para Adão. Ali começou a eterna divergência entre o masculino e o feminino, pois Lilith não se conformou com a submissão ao homem. Esse ponto teria sido retirado da Bíblia pela inquisição. De acordo com o astrólogo foi a partir de 1914, quando Lilith apareceu sob a influência de Plutão, que fez uma órbita longa até 1938, que as mulheres começaram os movimentos de libertação. Antes, Lilith aparecia sob a influência do signo de Câncer. Atualmente as mulheres vivem melhor sua sexualidade, sem culpa, e sem medo de serem acusadas de bruxas, como antes. Lilith no mapa parece estar ligada a frustração. Onde se encontra corresponde a área de experiência (casa) ou qualidade arquetípica (signo) em relação à qual a pessoa vive com um sentimento inexplicável e constante de expectativa e insatisfação, mesmo que a experiência simbolizada por aquela casa ou signo esteja sendo realizada de forma satisfatória. A casa onde se encontra é onde a pessoa precisa aprender a se desapegar, a ser impessoal, pois em outra existência deu muita importância aquilo, viveu aquele assunto com grande excesso. Mas a falta de harmonia que Lilith traz também tem um propósito: a impessoalidade e o desapego. Com a Lua Negra, abordamos as zonas mais escuras, mais inacessíveis do ser, as mesmas bases de sua personalidade, a parte sombria que temos e da qual não podemos escapar. Esta lua fictícia é chamada de “negra” porque absorve tudo. Nada pode resistir à sua ação. Com efeito, o negro, que sabemos que não é uma cor, simboliza tanto o vazio absoluto, o nada, a obscuridade total, como o excesso e a densidade máxima. Se falarmos de um vazio, temos que ocupá-lo com urgência, sob o risco de sermos absorvidos e precipitados em sua direção.